quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

CIDADE GANHA ASPECTO METROPOLITANO

No Centro já se erguem prédios de quatro pavimentos
         Sou como muitos, de uma época em que a nossa Sta. Izabel tinha o aspecto de quase toda as cidadezinhas da secular Zona Bragantina: umas 10 ruas de chão batido, cerca de 1000 casas, a prefeitura, duas igrejas, a pracinha, a estação ferroviária, a delegacia de polícia, o cartório e pronto. Ao contemplarmos o majestoso prédio do então Orfanato Antonio Lemos, creio que todos sentiam orgulho de sua beleza arquitetônica, talvez das poucas maravilhas que existem próximo a nós e que ainda desperta admiração.
      Hoje apesar dos pesares, nossa urbe já demonstra que vem pouca a pouco ganhando ares de modernidade. Avenidas ampliadas e pavimentadas,novas praças, novos bairros e inúmeras edificações vê-se todos os meses brotarem do solo. Porém o que ainda as administrações não atentaram, é para dar à frente da cidade um melhor visual, que passaria por uma caprichada urbanização, considerando-se ser o nosso portal.
     Contudo, presentemente já vemos nossos primeiros edifícios passando do tradicianal sobrado, verticalizando-se acima dos três pavimentos.
    Obviamente que nossa economia dá sinais de fortalecimento e nossos capitalistas já investem na construção civil e na expansão comércial, em busca de movimentar e aumentar suas finanças  -que poderá se robustecer, com a preferência pela indústrialização.
      

terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

CARTUNLINO (RETROSPECTIVO)

        ERA  DO  PERO  MALÃO



                            
      Vejam só o que fizemos    Vejam o salário mínimo
      Pra depois vir criticar        Maior não se pôde dar     
      Um plano estabilizador      Se você for econômico
      Que até hoje aí está           Ainda pode até poupar

      Uma moeda bem forte       E quanto aos baixos salários
      Uma conquista sem par     Não me venham reclamar
      Um Real fortalecido          Oito anos de arrocho
      E a inflação controlar       Pra você economizar

      Com o câmbio flutuando   O Lula batia o pé
      Estamos a levitar              E vivia a criticar
      Muito dinheiro voando      Aderindo o nosso Plano
      E o pobre a esperar          Só veio nos orgulhar
                                              Pois pra taxar velhinhos
                                              E impostos aumentar
                                              É cópia é plagio portanto
                                              Autoria vamos cobrar 
                                                

O FUTEBOL COMO ELE É

        O Remo hoje (28), enfrenta o ascendente Águia, no ninho deste em Marabá, partida válida pelo Segundo Turno do Parazão -2012, quando o Leão de Antônio Baena lutará decididamente por uma vitória, que pode abrir caminho para a Série D do Brasileirão.
    No turno passado, os azulinos amargaram quatro derrotas,um empate e apenas uma vitória, o que decretou a saída de Sinomar Naves, que armou uma equipe oriunda da base e agora o elenco recebe o comando de Flávio Lopes que já pediu reforços.
    Lamentável portanto para um clube de grande torcida e que já teve seu explendor no futebol brasileiro. 
   Sem "D"emérito algum, mas Série D é "D"emais ,ou "D" menos ?.. 
      

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

MOTO-TÁXI : RISCO E NECESSIDADE ?

                                                                      
      É deveras impressionante o crescimento vertiginoso de moto-táxis no município, nestes últimos dez anos. Fazendo-se uma estimativa é possível que tenhamos mais de 100 pessoas trabalhando nessa profissão. 
    Na realidade em todo o Brasil este serviço parece que chegou para ficar, sendo um transporte rápido, fácil de estacionar e locomove-se no intenso trânsito. Em contraposição oferece perigo por seu pequeno porte, inconveniência nos aguaceiros e pouco conforto ao usuário.
     Confesso não ter informações de quando aqui foi introduzido esta modalidade de condução, talvez dos anos 90 para cá, porém temos certeza de que sua expansão é  crescente a cada mês.
     Quando contávamos com o canal do SBT no município, assistimos um cidadão que ao que parecia, era presidente de uma associação da categoria e que vinha lutando pela legalização e normalização do serviço em nosso meio - principalmente por ter ocorrido naquela oportunidade, um assalto , perpetrado por bandidos travestidos de moto-taxistas. 
    É sabido porém, que todo tipo de concessão de transporte, tem a regularização e controle do Poder Público, que dita inclusive suas normas.
    Já foram vistos em nossa praça, alguns profissionais desse ramo, bem uniformizados, com capacete de segurança e boa aparência -o que infelizmente não acontece com a maioria, pois contribuiria e muito, para a valorização do serviço. Por exemplo em Castanhal, é obrigatório o uso desse protetor de cabeça, para o condutor e o passageiro.
     Uma vez bem organizada essa atividade, torna-se um serviço mais preferido e que só traz vantagens a tantos cidadãos, que dele tiram o sustento para suas famílias.

SE A MODA PEGA ...


       Em plena cidade do Rio de Janeiro, um grupo de pessoas foi assaltado ontem (25), por três homens armados que praticaram um verdadeiro arrastão, no local conhecido como Pedra da Gávea. As vítimas, em sua maioria jovens, participavam de um passeio ecológico na aprazível região, quando foram surpreendidos pelos foras-da-lei, que surrupiaram-lhes vários pertences como: aparelhos celulares, tênis, mochilas dentre outros.
    Imagine-se como incentivar e implantar o Turismo Ecológico neste país, se o perigo pode estar em cada trilha...

domingo, 26 de fevereiro de 2012

MERCADÃO: REFORMA MAIS ABRANGENTE

O antigo ...
e o atual Mercado, com ridículo aspecto










      O nosso antigo Mercadão construído em 1911, quando Sta. Izabel ainda era vila , 55 anos depois, exigia uma grande reforma. 
    Tratava-se de um prédio localizado onde é hoje a Praça da Bandeira, medindo cerca de 40x 80m, com pé direito entre 7 a 8 m, paredes com estrutura de madeira (tabique) cuja planta abrigava em cada canto, 1 compartimento com 2 boxs de  15x 10 m aproximadamente. No seu interior funcionavam: ao centro a grande feira livre, além de açougues,mercearias,lojas e bares , em suma era um grande e majestoso galpáo, com saídas frontais,aos fundos e laterais. Já pelos anos 50, boa parte interna fora ocupada por cubículos de madeira, onde se instalaram pequenos comércios de gêneros alimentícios, fruteiras, venda de comida, lanchonete etc.
     Por volta de 1965, o prédio já apresentava sinais de deterioração em virtude do tempo e por nunca ter passado por um reparo geral.Suas paredes apresentavam rachaduras,piso interno e externo quebrados, falta de pintura e o mais preocupante, suas imensas tesouras apresentavam acentuado arqueamento, (em função da cobertura em telhas  do tipo Francesas) -quando foram paliativamente escoradas, por algumas vezes.
     Em 1967 assumia a Prefeitura o cidadão Nestor Ferreira, que ciente do problema, procurou o governo do Estado,porém sem êxito.Então resolveu solicitar a uma empresa do ramo, um anteprojeto, o que também não se encaixava com os parcos recursos públicos à época. Em virtude de já existir o atual prédio bem em frente, que pertencia a firma Sobral & Irmãos e estando desocupado, este gestor resolveu comprá-lo. Fato que na época alguns opositores na Câmara, exigiram rigorosa perícia. O prefeito inclusive tinha ciência de que teria que realizar adaptações e que a utilidade do mesmo, seria por cerca de aproximadamente 25 anos, em função do crescimento populacional e assim o negociou e demoliu o antigo Mercadão.
     Depois do funcionamento do novo mercado, acredita-se que a única reforma está sendo feita pelo atual gestor Marió Kato,. porém por motivos desconhecidos a obra se arrasta por mais de 7 anos  -o que motiva reclamações de comerciantes e usuários pela demora da execução e entrega da referida obra. Torce-se porém para que até o fim desse mandato, ele reinaugure tão importante estabelecimento público.
    Apenas a título de contribuição: aquele próprio teria que ser adequado a um projeto racional na verticalidade ou voltar para a antiga área com um modelo similar ao de então, aproveitando-se o espaço onde está o atual Mercado para reconstruir a Praça da Bandeira, através de um projeto moderno, inclusive com estacionamento.   

OUTRA TRAGÉDIA FAMILIAR

       A família Novelino sofre mais uma perda no espaço de cinco anos, após o massacre e assasinato de dois irmãos , em 2007. Agora (sábado 25) , o empresário Alessandro, que também era deputado estadual pelo Pará, encontrou a morte em um acidente aéreo, quando se deslocava de Belém para uma fazenda e o helicóptero caiu em terras do município de Acará, matando também mais duas pessoas.
     O corpo do parlamentar, está sendo velado na Assembleia Legislativa, em Belém, cujo sepultamento está previsto para hoje, domingo.

sábado, 25 de fevereiro de 2012

LIVRO

        Revisando minha biblioteca, encontrei um livro de poesias, da amiga e professora Fátima Serieiro,cujo título é: Ritmos Desconexos, o qual tive a honra de produzir a capa, no ano de 1979, quando juntos servíamos à SUDAM. Aqui a poesia inicial:

            DESENCONTRO

         Há um desencontro total das coisas
         Terrivelmente iguais
         Antecipadamente preconcebidas
         Há uma vontade constante
         De sair do jogo das oportunidades
         E se jogar na vida do expontâneo
         Meramente deixado ao acaso
         Há uma sede tremenda
         De beber da água não poluída
         Dos ideais abarganhados de cotidiano
         E sujos das misérias sociais
         Há uma discrepância assustadora
         Do ser e não ser
         Na encenação do dia a dia
         Há uma angústia refletida
         No rosto dos loucos
         Por fugirem do normal do mundo
         E ficarem no apanágio das idealizações
         Há uma criatividade imensa
         Tolhida no ser
         Que vive à luz das circunstâncias
         Da elevação econômica
         Há uma descrença de tudo
         Se o crer é ver
         E não sentir como seria o que penso que é certo
         Há assim uma negação
         Realmente sentida
         Do que deveria ser e não é
         Por isso o desencontro de tudo
         Onde as indagações metafísicas
         Dão respostas não visíveis
         Que poderiam ser reais
         E o desencontro caminha
         No ser promiscuamente mecanizado
         Nos incentivos dos projetos atômicos
         Nos foguetes espaciais
         Enquanto muitos morrem de fome
         Sem soluções objetivas.
              
    
               
           
     

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

CARTUNLINO (RETROSPECTIVO)



        
        Disse o ex-presidente                   E esse tal salário mínimo
        Bastante preocupado                  Tão mínimo que mal se vê
        Tirarei o povo da merda             Ofereça ao político
        Em que vive atolado                    Pra ele sobreviver


        Não se sabe quais os meios       Do contrário companheiro
        Que seriam empregados            Fica o caso emperrado
        Só se sabe que o povo               Não dividindo a bufunfa
        Continua enlambuzado              Continua-se nesse estado
      
        Arriscando-se um palpite
        Que não é lá inusitado
        Basta dividir a renda
        Com os mais "fedorizados"

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

OS ENCRENQUEIROS

O "cajueiro-ringue"

       Esse "cara" que está aí embaixo e que muitos conhecem, é o Bem-Te-Vi-de-Coroa. Seu nome científico: Pitangus Sulphuratus. Sua bela plumagem, um marrom-claro sobre as asas, que se estende até ao redor da cabeça, dando a aparência de uma coroa, e um amarelo-suave ao peito , cores aliás, que escondem a valentia e a agressividades desse pequeno pássaro.Seu habitat é geralmente nos quintais urbanos, no campo, à beira de rios, onde se alimenta de quase tudo, como: insetos,frutas,ovos, pequenos peixes, carrapatos etc.Também se sabe que ele é um dos poucos de sua espécime,que encara o gavião o urubu e qualquer um que se atreva a invadir seu ninho, principalmente quando está chocando ou com filhotes.E dizem também, que ele descobre quando a mulher engravida, sendo o seu canto, um terror para elas.
     Bem. Após a breve apresentação do nosso "coroa", tenho uma pequena história:
     Todos os dias em nosso quintal nas fruteiras, aparecem entre outros passarinhos, alguns bem-te-vis ,tanto pela manhã quanto à tarde.Agora que as frutas escassearam, os pestinhas dos Pitangus, resolveram ir bicar alguns farelos que sobram da ração do meu cachorro chamado "Ringo". Lá pelas duas da tarde, que o cão está naquela sesta, eles descem e vão tentar mariscar na vasilha do Ringo. Ao menor ruído, meu cachorro acorda e arma um bote sobre os irriquietos "bicões". Ação impossível, os bichinhos como um raio, batem asas sem dar a menor chance, aos afiados dentes.Agora o que é mais engraçado, são os dois passarinhos voarem para um velho cajueiro próximo e lá de cima ficam na maior algazarra com pios, parecendo chamar o meu Ringo para disputar a "parada" no "ringue aéreo" deles e, tome-lhe zombaria. Ringo, depois de "lhes dirigir uma série de insultos e impropérios em alto brado retumbante, parece-me até que, em vários idiomas",  -cisca várias vezes no tronco da árvore, urina mostrando também seu território e, desiste.Mais uma batalha perdida.Volta para sua tranquila e merecida soneca.
    Em questão de 10 ou 15 minutos, começa tudo de novo. É que os danadinhos, além de encrenqueiros são rápidos, debochados e ainda esnobam de quem não tem asas para alcançá-los. 
    Agora,Ringo volta rosnando e olhando para cima, parecendo dizer: "Vocês não perdem por esperar, seus fdp!" 

O "PODER DE CONQUISTAR" VOTOS

       Até as pedras sabem, que existem "enes" maneiras de se conquistar votos.Uma delas é o candidato ser conhecido e ter algum trabalho de realce em seu meio social, o que  cria uma relação de confiança e até de amizade. Outra, demonstrar capacidade para exercer tal cargo, com experiência e consciência de como resolver os inúmeros problemas, geralmente herdados. Por fim, dispor de uma boa soma em dinheiro, (embora uma prática danosa e contraventora), e sair por aí negociando votos.Deixa-se claro, que nenhuma dessas condições colocadas  isoladamente, garantem tal eleição, -mas que a última hipótese pesa, pesa.
    Em toda história política, é muito difícil não vermos fraudes ou tentativa desta prática.Temos fatos hilários senão escabrosos dos velhos coronéis, que por suas "popularidades", são verdadeiras "usinas" de votos, sendo capazes de "eleger"  até gerico.
O bau reforçante
     Temos notícia de cidadãos que para chegar ao Poder, e com suas artimanhas conseguem burlar a vigilância legal e usam de vários artifícios, como: doação de material de construção, de carne,de dentadura,cestas básicas,influência de cargos, churrascadas, material esportivo, enfim, nessa disputa, que poderia ser democrática e meritória, vale realmente (para alguns) tudo. 
    A prova inconteste é, quantos cidadãos capacitados, são alijados do processo, por não possuir poder financeiro.
    -Não sejamos "românticos" e nem hipócritas.

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

O CARNAVAL VIGIENSE E A NOSSA FRUSTRAÇÃO

   

    No nosso tempo de futebolista, jogando  pelo querido Izabelense, sempre éramos convidados neste período de Momo, para realizar amistosos na cidade de Vigia. Já naquela época o carnaval era animado e contagiante nos salões e nas seculares ruelas que abrigam velhos sobrados. Um deles a sede do Uruitá Esporte Clube, onde quantas vezes toda a nossa delegação, se esbaldava ao som das bandas carnavalescas e só pegávamos o caminho de volta, realmente ao amanhecer. E olhe que aqui tínhamos o monumental Clube Thalia, com seus organizados blocos e "batalhas de confete", no salão.Porém a Vigia sempre se diferenciava, por envolver o povo com a folia nas avenidas.
    Hoje ficamos apenas relembrando e nos perguntando: o que fizeram das noites esfuziantes e alegres dos thalianos? Enquanto aqui a Quadra Momesca sobrevive às duras penas, sob o denodado esforço de alguns amantes da folia e que fazem com que o nosso carnaval não vire apenas cinzas após a Quarta-Feira, dada o  desinteresse dos nossos mandatários. Enquanto que bem aqui perto, em Vigia, continua a tradição, e o município já desponta como um dos melhores no reinado de Momo e olhe-se que lá não tem uma região balneária tão propícia  e favorável a esses eventos e ao turismo. 
   É de cair o queixo, ver as autoridades daquele município comparecerem junto com o povo e dizer da satisfação em promover tão significativa festa -o que pode render além da divulgação municipal, através de canais de TV para o mundo, propicia rentabilidade aos cofres da localidade.
    E o que é pior: inúmeras famílias izabelenses para ali se deslocam, por exclusiva falta de opção em nossa cidade. 
    -É realmente lamentável ou não é ?
    

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

FANTASIA ?


       Não. É um Ficha Suja, vestido a caráter e talvez imaginando ser o seu último "Carnaval", com o dinheiro público.

VÁCUO PARLAMENTAR

      Em alguns lugares, onde usam-se partidos apenas para se candidatar (e às vezes se eleger), sem no entanto comprometer-se com as diretrizes da agremiação, geralmente deixa-se o povo de lado e opta-se pelo apoio  ao Poder Central, cujo sustentáculo "beneficia" a todos, menos naturalmente, ao eleitor. Cria-se, talvez sem querer, portanto, uma espécie de couraça em volta do Executivo, blindando-o de possíveis cobranças e ataques. Logo deduz-se que, tal prática, não se coaduna com os princípios democráticos, que jamais restringiu o direito de oposição ou a livre vontade de expressão de um parlamento.
    Logicamente que com tal atitude, exclui-se o povo do processo, que muita das vezes, só lhe resta reunir em grupos, indo às ruas, para reivindicar seus direitos, que geralmente são advindos de suas reais necesidades.
   Em nossa cidade particularmente, tivemos o episódio de inúmeras perdas de vidas no trânsito e que apenas houve uma ação paliativa, graças a atitude de parte da sociedade. Seguem-se portanto aí, um rosário de pendências, que o companheiro Jaime Brito bem elencou em seu blog, que vai desde a redução de passagem de ônibus metropolitano, dentre várias outras urgências. 
    Agora somos forçados a nos perguntar: -Qual é mesmo o papel ou a posição do nosso parlamento, nesse mar de preciçoes por que passa o município?
   Faz-se necessário ouvir o clamor público, a democracia nos ensina e nos faculta isso.

sábado, 18 de fevereiro de 2012

CARTUNLINO ( BOM CARNAVAL ! )

 
        A cabrocha aí ao lado
        Disse estar decidida
        Faça sol ou temporal
        Ela vai pra avenida

        Está procurando um gajo
        Que não fuja da parada
        Nos três dias de folia
        Não lhe venha dar mancada

        Aconselho ao candidato
        Algo bem revigorante
        Sopa do Géo com tutano
        Chá de "tromba-de-elefante"
        Sarrabulho e "coquetel"
        Caldo de sarapatel
      Pois sem essas "substâncias"
        Seu destino é o beleléu 
             

CARTUNLINO

      -Perguntar (assim como responder), não ofende !..

CARTUNLINO:

                   

             Eleições:
       Foi dada a largada.Agora é só fazermos nossas apostas..

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O PERIGO À NOSSA PORTA

      
  Não sei não mas, acredito que 50% das famílias izabelenses são importunadas em suas residências, por pessoas (não se sabe de onde vêm) a lhes pedir algo.
   Em nossa casa, dá para verificar que uns três ou quatro pedintes tocam a campainha normalmente, solicitando alimentos. O pior mesmo é que, às vezes se está almoçando ou pegando uma sesta e quando se vai atender, nos deparamos com indivíduos que dá pena, porém uns bastante alcoolizados a solicitar um pouco de comida e no caso de não termos, insistem em algum trocado e pior ainda, a certas horas da noite.
    Embora sabendo-se que em alguns casos é verdade, no entanto, em outros, pode ser uma "armação". E ainda têm aqueles que se não forem atendidos, saem descompondo com xingamentos e impropérios. 
   Ultimamente tem aparecido dois homens e uma mulher que parecem vir dos botecos do mercado e visivelmente embriagados, insistem na campainha e ao verificarem que ninguém atende, saem proferindo palavrões, principalmente quando o cão os afugenta.
    Sou ressabiado, pois já fui abordado por três vezes na porta de casa (duas vezes à noite) e quase me roubavam sendo que em uma das vezes a viatura policial ia passando e eu entreguei o bandido aos militares.
   Aí fica-se na dúvida: se praticamos a caridade em dar um pouco do que temos ou se negamos evitando que sejamos surpreendidos por um assalto. A coisa tá tão perigosa, que em muitos casos, é melhor ouvir uma enxurrada de impropérios e insultos, do que nos aproximarmos de certos indivíduos.
   -Qualquer descuido, pode ser fatal. 

NOSSA GENTE NOSSA HISTÓRIA

     Um cidadão, humilde, negro, quase mudo e com uma certa deficência mental, porém conhecidíssimo em toda aquela Sta. Izabel dos anos 50.Era o velho Lino, (meu homônimo),que ganhava a vida fazendo biscaites, isto é,capinando quintais, carregando latas d`água para pequenos restaurantes do antigo mercadão, quando retirava o precioso líquido do Igarapé Sta. Izabel (ainda não poluído), que passava bem atrás da Usina Elétrica (hoje a Feira Hélio Gueiros).
  Usava normalmente um paletó e calça arregaçada até o meio da canela, vestes que lhe ofertavam e normalmente andava descalço em sua área de trabalho, a zona comercial da cidade, em torno do Mercado Municipal.
  Lembro-me em tenra idade, que papai  instalou no arraial da Matriz um grande carrossel e lá estava o negro Lino a movimentá-lo com uma força incrível, na época nossa energia elétrica era precária.
  Na feira (que era dentro do Mercadão) após seu trabalho, costumava tomar uns "gorós", porém sempre quieto sem nunca dar alteração.Todavia virava uma fera, quando a garotada o apelhidava de "Barrão", chegava a correr atrás dos gaiatos.
   Também gostava de assistir comícios, não se sabe se entendia as mensagens dos "palanquistas" da época.
  Quando abrimos o Posto Camisinha na BR por volta de 1960, o velho Lino passou a nos ajudar transportando água do mesmo igarapé, que se chamava "do Tubo", todas as tardes. Sempre após a tarefa,dava umas bicadas oferecidas por alguns amantes da `branquinha" que também frequentavam nosso bar, porém todos conhecidos, que logo após iam se refrescar nas límpidas águas daquele córrego.
   Recordo-me também que lá em uma época de São João, Lino resolveu soltar uns rojões e estaria tudo bem se ele não tivesse invertido a posição do foguete, o que lhe valeu uns três dedos do pé perdidos, mas felizmente logo sarou.Era penoso vê-lo querendo contar o episódio, porém sua língua não ajudava.
   Agora o que mais admirava era a sua comprovada vocação humanitária. Quando ele sabia do falecimento de alguma pessoa,mesmo desconhecida, dizem que ele chegava a andar vários quilômetros para ir velar o corpo, com chuva ou sol e de lá só se levantava para acompanhar o sepultamento. Vi isto no falecimento de meu velho padrasto Camisinha e outros amigos que se foram.
   Soube de seu passamento dias depois,em função de ainda morar em Belém e confesso que tinha vontade de acompanhar seu enterro.
   Lino, apesar de tudo, um ser humano, talvez com um altruismo tão forte, que muitos de nós, às vezes, não demonstramos ter.
   Ele era acima de tudo, um grande izabelense.  

TRAÍDO PELO PRÓPRIO DISCURSO

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

PENSANDO BEM !..

       Cremos ser ultra-salutar optarmos por uma boa avaliação dos nossos candidatos e, que já está passando da hora de exigirmos pessoas que reúnam reais qualidades para nos representar daqui por diante. Óbvio é, que não tive a petulância de ser um cientista político ou mesmo um marqueteiro do ramo,ao elaborar 10 quesitos que considero importantes para quem deseja ser um futuro homem público, neste Sta. Izabel do Pará. Insisto, não ser um ponto de vista hermético, por isso, sujeito a observações mais acuradas e quem sabe, técnicas.

   1- Possuir um bom nível intelecto-cultural.
   2- Espírito de liderança e coletivismo.
   3- Ter consciência dos problemas municipais.
   4- Escolher uma equipe de assessores confiáveis e competentes.
   5- Elaborar um plano racional e estratégico para resolução desses problemas.
   6- Ter facilidade de diálogo e trânsito na área da política,empresarial e com a sociedade.
   7- Persistência e habilidade nas reivindicações junto às esferas políticas.
   8-Real comprometimento com o desenvolvimento municipal.
   9- Bastante humildade para entender que, o poder emana do povo e em seu nome deve ser exercido.
   10- Fazer com que cada dia de gestão, se multiplique por pelo menos  três, de pleno desnvolvimento.

A PONTE QUE PODE CAIR

             
    A Rede Record mostrou ontem (14), em seu jornal (a pedido de alguém?) a situação clamorosa da ponte sobre o Rio Caraparu, aqui bem perto, no Porto de Minas.
    Longe portanto de culpabilizar somente a atual administração, principalmente por tratar-se de uma rodovia estadual. Porém  torna-se inadmissível tamanho descalabro em uma rodovia paraense e o que é pior, corta todos os  nossos pontos atrativos, que recebem toda semana centenas de banhistas. Todavia convenhamos: são cerca de 100 anos que o "monstrengo de madeira" ali está, sem que ninguém tome a menor providência. 
    Épocas passadas, até se dizia que pontes assim, rendiam dinheiro aos prefeitos, pois havia a necessidade de consertá-las a cada cinco anos. Não concordo e nem discordo, entretanto afirmo que, tudo isso é fruto da política de antanho, onde nada se planejava e tudo era na base do improviso, um dos fatores que deixou este município emperrado e asfixiado.
   Hoje como se vê, é uma rodovia de grande trafegabilidade, onde transitam diariamente veículos de porte e cargas pesadas e que além de servir como via escoadora de boa parte de nossa produção, liga até o Sul do Pais -e uma ponte com tal extrutura, não tem condições de suportar um trânsito tão intenso e tantas toneladas. 
    Se observarmos bem, nada adianta um mero requerimento, no sentido de que seja recuperada a referida conexão rodoviária, tem que ser um projeto bem elaborado e consubstanciado por uma forte exposição de motivos,para que ela seja construída em concreto armado.
    Política não se faz com quantidade de inéptos, mais tão somente, com a qualidade de seus atores. 
    -Ou será que o tempo não nos deu lições disso?
      

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

EXTERMÍNIOS ASSUSTAM PARAENSES

     Dados estatísticos de 2011 mostram o Pará com um índice de assassinatos alarmante com 8 mortes por dia, sendo que dos 2913 ocorridos no ano que passou,1033 aconteceram na Região Metropolitana de Belém, também foi constatado que a maioria das vítimas eram jovens e adolecentes. Segundo ainda a pesquisa,os dados de 2010 registraram 3409, logo, entre os dois períodos, foram evitadas com a prevenção do governo,496 mortes.
  As autoridades acreditam que a maioria dos casos se relaciona com o tráfico de drogas,estando fazendo parte desse tétrico mapa de extermínio, Sta. Izabel, Guamá e Icoaraci -além de outros bairros da Capital.
  Fonte:O Liberal (12/02/2012)

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

FRASE ANTIPARLAMENTAR ?

   Para quem não leu a Veja da semana que passou, está lá na seção Veja Essa: "Político que só militou na política e vira rico de uma hora para outra é ladrão". Frase segundo a revista, proferida pelo senador Mário Couto, do PSDB-Pa,referindo-se ao seu colega (?), Jader Barbalho do PMDB-Pa.
  Vovó Maria que era cearense de Caucaia, por certo diria:-Vige Maria!

MOCIDADE PERDIDA

      Um amigo me contou, visivelmente constrangido, um caso que realmente choca qualquer um.
     Disse-me que conhecia um jovem que levava muito jeito para o futebol. Como ele faz parte de um clube em um de nossos bairros, convidou o rapaz para fazer parte de sua equipe.O futuro craque pertencia a uma família bastante necessitada, o meu amigo chegou a comprar o material necessário para tê-lo em seu clube e por um bom tempo ele (o jovem), se destacou por realmente saber tocar na redonda. 
    Lá pelas tantas, o rapaz já não comparecia aos treinos e geralmente perdia os compromissos em partidas até de campeonato. Meu amigo, querendo sempre ajudá-lo, procurava-o, preocupado com ele que sempre desfalacava a equipe e que tinha começado tão bem. Certa vez o amigo meio que ressabiado, foi direto ao assunto e perguntou-lhe o que estava acontecendo e o porquê da sua ausência, não frequentando mais a agremiação e que ele podia ter um futuro pela frente. O jovem depois de alguns segundos, se abriu dizendo-lhe: Futebol não dá dinheiro, eu estou agora em outra". Meu amigo bastante experiente, começou a informar-se com outros colegas do clube e lhe passaram que o ex-futebolista, tinha optado por um caminho perigoso e quase sem volta. Procurou o jovem e deu-lhe bastante orientações e conselhos como se fosse um pai.O jovem talvez empolgado por agora andar com bastante dinheiro, não o atendeu e repetiu: -Futebol não dá dinheiro.
     Passados cerca de dois meses, depois dessa última conversa que teve com ele, deu-se o pior. O pobre rapaz fora encontrado morto, em um outro bairro da cidade,. em circunstâncias até hoje," misteriosas".

domingo, 12 de fevereiro de 2012

ÓTIMO PARA STA. IZABEL


      Lendo a postagem do companheiro Bruno (hoje, 12/fev.), nos dá a sensação de que temos chances de nos modernizar pelo menos no setor comercial. Uma loja com o padrão Y.Yamada bem em frente à cidade, pode além de trazer melhores opções aos izabelenses, provocar a vinda de outros empreendores e "forçar" os futuros mandatários municipais, a melhor cuidar daquela extensa área, que corresponde à nossa sala de visitas. 
   Embora tratando-se de  uma rodovia federal, deve-se optar por um projeto criterioso de ajardinamento, através da Prefeitura ou em convênio com a União.
   Independentemente se foi iniciativa política ou não, só temos que  enaltecer e torcer para que tal empreendimento se torne realidade.
  Já foi cantado em verso e prosa, ao longo desses sacrificados anos , que Sta. Izabel possui uma excelente e privilegiada localização, que lhe favorece o crescimento econômico.
   Pena que o sistema político ainda não evoluiu.

sábado, 11 de fevereiro de 2012

SERÁ QUE JÁ PODE ?

   
     Para o TRE verificar: já tem nego na internet  (dissimuladamente ou inocentemente?), insinuando o povo a voltar a "acreditar" no seu "trabalho", como vereador do  município. 
   Extranha-se porque, a Justiça Eleitoral, já está de olho até naqueles "outdoors" , que tentam disfarçar a propaganda com "votos de feliz aniversário" etc...etc.
    
    

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

IV COPA DO MUNDO -1950

Em pé,Danilo e Juvenal; agachados:Zizinho,Ademir e Jair
 Durante os anos 40 não houve disputa da Copa do Mundo de Futebol, em virtude da eclusão da II Guerra. A quarta edição desse torneio, somente veio acontecer em 1950, tendo como sede o Brasil, iniciando-se em 24 de junho e terminando em 16 de julho. 
        Participaram 16 seleções, sendo: Bolivia, Brasil,Chile,Escócia,Espanha,Estados Unidos, Índia,Inglaterra,Itália,Iugoslávia, México, Paraguai, Suécia, Suiça e Turquia e Uruguai.
        Registrou-se três grandes goleadas: Uruguai 8x0 Bolívia; Brasil 7x1 Suiça e Brasil 6x1 Espanha.O artilheiro da competição foi o brasieliro Ademir de Menezes, com 9 gols.
        As Quartas de Final apontava o Brasil (como favorito ao título),completava-se com a Suécia, a Espanha e o Uruguai,
        Na final o nosso Selecionado fora surpreendido pelos uruguaios, perdendo por 2x1, para a tristeza de quase 200 mil torcedores no Estádio do Maracanã, que fora construído especificamente para ser palco da final desta Copa.
         A vitória nacional era dada como certa pelos resultados obtidos e por jogar em casa, sob o calor da torcida e também por ter uma excelente equipe à base do Vasco da Gama, um time fortíssima aquela época. O Brasil que ainda por cima jogava pelo empate e fez 1x0 através do ponteiro Friaça. Porém na fase final, a Seleção Celeste, comandada pelo seu grande capitão, Obdúlio Varela agigantou-se e virou o jogo para 2x1 conquistando o título de forma inacreditável, para todos os brasileiros.
       O Brasil formou nessa final com: Barbosa (Vasco), Augusto (Vasco) e Juvenal (Fluminense); Bauer (Vasco), Danilo (Vasco) e Bigode (Fluminense); Friaça (Vasco), Zizinho (Bangu),Ademir Menezes(Vasco), Jair Rosa Pinto(Vasco) e Chico (Vasco).
       Este revés brasileiro ficou conhecido como "Maracanaço" , quando as Escolas de Samba carioca já tinham preparado até o carnaval da vitória e tudo rolou por águas abaixo.
       Barbosa (goleiro) um dos acusados pela derrota juntamente com o médio Bigode, certa vez falou a uma revista esportiva: " A pena de morte no Brasil é de 30 anos, a minha já dura 40 !" -ele faleceu em 31/03/2000, aos 79 anos em Praia Grande, SP, sem dúvidas ainda bastante magoado.

   

PLAQUETA " HONORÍFICA"


        Cutucando o computador hoje (10), encontrei o outro blog que comecei em junho passado e que deu "bug", porém vi que indicava 2102 acessos. O que uso atualmente, contabiliza 3292, logo verifiquei que já ultrapassei a barreira dos 5ooo acessos. Bravos!
    Tenho certeza de que qualquer blogueiro empedernido como nós outros, se sente gratificado a cada mil visitas que recebe, que é a recompensa daqueles que valorizam o nosso trabalho cotidiano, trazendo-lhes informações,opiniões e entretenimento etc...etc.
A plaqueta "Honorífica"
    Ciente de que jamais receberei uma comenda dos mentores públicos municipais, por esse despretensioso  e insistente trabalho, "encomendei" esta plaqueta de madeira ao marceneiro seu Honório e portanto a considero "Honorífica" ,assim fiz questão de mostrá-la aos meus pacientes seguidores (ou não), pelo fato de serem eles o motivo principal de continuarmos nesse interessante e gratificante labor.
   Aqui me sirvo de um velho "deitado": -Mais vale um porrete nas mãos, do que alguns no cocuruto!"
   -Brigadão!!!
    

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O QUE É QUE O POVO MAIS NECESSITA ?

      Não tenho muito tempo para pesquisar, porém tenho quase certeza se fosse feita uma busca , com relação ao número de pessoas que necessitam de emprego em nossa terra, seria alarmante.
     Os cidadãos que acompanham há anos, a trajetória política desse município,devem ter ciência da marcha ronceira que o caracterizou por todos esses tempos, podendo-se no entanto, ressalvar algum período.
     Normalmente vê-se administrações que iniciam há 200/h, para logo em seguida recair na síndrome de cágado,isto é, o resto dos anos, gerenciam-se a coisa pública, ao sabor das ondas, ou sob o pequeno crédito conseguido inicialmente.
    É extremamente compreensível  que os atuais dirigentes, não concordem com colocações dessa natureza, afinal têm trabalhado diuturnamente, às suas maneiras,é claro, para engrandecer esta terra, etc...e tal.
    Entretanto tenho repetido neste modesto espaço, já pela enésima vez que, nenhuma nação, nenhum estado e consequentemente nenhum município, consegue desenvolver-se sob a égide apenas do assistencialismo. É necessário muito prioritariamente, um planejamento onde se  busque a abertura e conserve-se apoios concretos, tanto público quanto privado, interna e externamente - para esta empreitada, obviamente temos que contar com uma força política coesa , aplicada ,consciente e altamente qualificada.
   Para não nos delongarmos muito, basta que se veja o modelo que aí persiste, que naturalmente não tem respondido aos anseios da população em crescimento, principalmente no que diz respeito a vínculo empregatício  -que em suma reflete o cerne de todos os problemas vigentes neste município.
   Para comprovar tudo isto, basta que olhemos a nossa posição sócio-econômica, em relação aos outros municípios da novel Região Metropolitana. 
   Deve ser portanto, o motivo de delicada observação e análise, daqueles que pretende estar à frente dos rumos deste terra , no quadriênio 2013-2016. E  me arrisco a afirmar com categoria, que aquele que não enveredar por este caminho, nada mudará e logicamente, estará fadado ao constrangimento e ao insucesso. 

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

O PUXA-SACO

                       

      De duas coisas tenho absoluta certeza: -Não sou "ruim da cabeça" e nem "doente do pé".
  Dia desses, passando por uma discoteca, vi um CD do Zeca Pagodinho, com 15 músidas ao preço R$11,90, o que também chamou-me a atenção.Comprei o disco e juntei a uma boa coleção de sambas, que possuo. Dentre as  músicas contidas no referido CD,achei uma engraçada por ainda não conhecê-la e resolvi transcrever a letra, cujo título é o que dei a esta postagem.


    É um cara carrapato
    Uma cola um chiclete
    Esse cara do chefe
    Não quer desgrudar
    Se vai embora diz logo saúde
    Se por ventura o chefe espirrar

    Dá sua vida feito um cão de guarda 
    Ele está sempre à disposição
    E quem do chefe se aproxima
    Ele olha de esquina para averiguar
    É malfalado odiado invejado
    Mas sua conduta não é de falhar

    No fim de semana o chefe o convida
    para viajar
    Se toma um porre ele logo lhe socorre
    Depressa na cozinha para fazer um chá
    Já me disseram que ele tem uma foto do
    patrão no altar
  
    Ele já foi promovido tomou mais juizo
    Virou a casaca e o time que torce
    é o mesmo do patrão
    Botou o nome do patrão no filho dele
    Orgulhoso convidou a filha para batizar
    
    O cara vira bicho se escuta alguém
    falar mal do chefe ele quer brigar
    Não mede sacrifício e diz que é
    seu ofício
    Fazer tudo e mais um pouco que o 
    patráo mandar
    
    Se o chefe chorar ele consola
    Também chora sem demora
    Pega um lenço para enxugar
    Se a piada é sem graça ele nem disfarça
    Puxa o coro para gargalhar

    É o queridinho do patrão
    É protegido baba-ovo pela-saco
    É carrapato que no saco dá

  PS: Se você conhece alguém com estas características,afaste-se, isto é altamente contagioso.

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

CARTUNLINO

               Nas eleições de 2000, o TRE bem que tentou realizar um teste, com candidatos semi-alfabetizados.



             





                          

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

TERROR BICOLOR ?

O veterano Vânderson,um dos poucos remanescentes, do triunfo em La Bombonera
                               

      O Paysandu Sport Club, sim, o Papão da Curuzu, após anos e anos de glórias,aquele que abateu o famoso Penãrol (Uruguai) e o Boca Junior da Argentina em plena Bombonera, pela Copa Libertadores, em 2003, hoje enfrenta um grande e penoso desafio: lapidar uma equipe para fazer frente ao Campeonato Paraense deste ano.
  Com um time oriundo praticamente das divisões de base, talvez falte um pouco de tempo, para entrosar. Resultado: o clube não conseguiu ser finalista do primeiro turno no referido certame.
   Ontem (domingo 5), perdeu para o ascendente São Raimundo ( de Santarém)por 1x0, em plena Curuzu, após disperdiçar até pênalti.
   A torcida um tanto quanto ressabiada, porém deve acreditar em uma virada no turno seguinte.